Transporte Público e Subsídio voltam a ser discutidos na reunião Ordinária

por Assessoria de Comunicação publicado 06/10/2021 12h15, última modificação 06/10/2021 15h00

No uso da Tribuna Livre na reunião Ordinária da terça-feira (05), Virgílio Ferreira Milagres, representante do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Rodoviário de Ponte Nova e motorista da Viação União, voltou a falar sobre o transporte público e o subsídio no município de Viçosa. No decorrer da reunião, os parlamentares comentaram sobre o assunto e a Audiência Pública que discutiu o tema no dia 30 de agosto foi retomada. 

Abrindo a discussão, Virgílio questionou sobre a demora na resposta do Executivo acerca do subsídio mensal que a empresa União pleiteia. “Teve uma audiência pública a respeito do transporte público e o Secretário Luan, que estava representando o prefeito no dia, disse que tinha pressa para dar um resultado sobre o transporte. A audiência foi no dia 30 de agosto e ele falou que daria a resposta até o dia 7 de setembro. Já estamos chegando no dia 7 de outubro e não tivemos nenhuma resposta, que seja favorável ao subsídio ou que não seja, que tenha licitação ou não. A gente está esperando essa resposta.” 

O motorista ainda salientou que a situação está crítica para os funcionários da empresa e também para a população que depende do transporte público. Ele ainda trouxe o exemplo do que está sendo feito no município de Ponte Nova. “A passagem em Ponte Nova é R$ 3,10 e o prefeito tá reduzindo para R$ 2,50, com os subsídios e pedindo a população que ande de ônibus, podendo reduzir ainda mais esse valor.”  

O Vereador Marco Cardoso (PSDB) disse que a audiência foi muito produtiva e reforçou o pedido ao Executivo para que dê o retorno sobre essa questão do transporte mais rapidamente. Ele ainda falou da situação no Bairro Paraíso, onde tinha 10 linhas de ônibus e agora só tem 5. Na oportunidade, o Vereador Marcos Fialho (DEM) corroborou com a fala do colega e disse que quem sofre com essa indecisão são as pessoas das áreas rurais e periféricas. 

Dando continuidade, o Vereador Bartomélio Martins (Professor Bartô) (PT) acionou o Vereador João de Josino (Cidadania), Líder do Executivo na Casa, para que possa analisar a situação. Em momento oportuno, João respondeu que o Prefeito Municipal, Raimundo Nonato (PSD) não é contra o subsídio, mas o projeto precisa ser discutido e votado na Câmara. Bartomélio também apresentou a Indicação nº 589/2021, solicitando ao Prefeito Raimundo, intervenção junto ao órgão competente, para que seja implementado o Símbolo Mundial de Conscientização do Transtorno do Espectro Autista (fita “quebra-cabeça”), conforme a Lei Municipal Nº 2.762/2019, Art. 1º, Parágrafo Único, nos assentos preferenciais em todos os veículos de transporte público municipal. 

O Vereador Cristiano Gonçalves (Moto Link) (Solidariedade), Presidente da Comissão de Trânsito e Mobilidade Urbana, se solidarizou com a fala do Virgílio e disse que é a favor do subsídio, desde que haja a contrapartida para o Município. Ele também retomou o assunto acerca do Projeto de Lei n° 061/2020, que regulamenta o serviço de transporte por aplicativo em Viçosa, que foi lido durante a reunião Ordinária (05). 

Por fim, o Presidente da Casa, Vereador Edenilson Oliveira (PSD) comentou que o debate é mais profundo. “Podemos fazer um debate com a população. Se fizer uma enquete perguntando à população se os vereadores devem aprovar esse subsídio para a Viação União, 90% não concorda. Teve 30 anos de concessão e muito pouco foi feito pela cidade.” O Presidente ainda comentou que não é interessante essa comparação entre os municípios e que é preciso um posicionamento firme da empresa e do Executivo também. Para concluir, o Vereador Gilberto Brandão (Avante) solicitou a empresa União que retorne com as linhas tiradas por causa da pandemia. 

*texto da estagiária Laura Fernandes sob a supervisão de Mônica Bernardi 


error while rendering plone.comments