Vereadores recebem coordenadora da Casa das Mulheres

por Assessoria de Comunicação publicado 21/09/2022 12h30, última modificação 21/09/2022 13h13

No Grande Expediente da reunião Ordinária da terça-feira (20), a Casa Legislativa recebeu Cristiane Magalhães, coordenadora da Casa das Mulheres de Viçosa, para esclarecer e apresentar as propostas de retomada dos trabalhos da instituição. O pedido foi feito por intermédio do Requerimento nº 035/2022, de autoria da Vereadora Jamille Gomes (PT). Ao justificar a presença de Cristiane na sessão, a parlamentar afirmou que a Casa das Mulheres é uma instituição de grande importância na Rede Protetiva da região, e que já foi reconhecida nacionalmente, desse modo, segundo a vereadora, nada mais justo que reservar um espaço para tornar esse trabalho público. 

Cristiane iniciou sua fala contextualizando a origem da Casa e o trabalho realizado. De acordo com ela, a Casa das Mulheres é um programa de extensão universitária da UFV (Universidade Federal de Viçosa), construído a partir de demanda apresentada pelo Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Viçosa. O objetivo principal é articular e fortalecer a rede de enfrentamento à violência contra as mulheres, além de proporcionar, formação cidadã, acolher, orientar e encaminhar mulheres em situação de violência, coletar, sistematizar e analisar dados sobre violência contra as mulheres atendidas na Rede Protetiva.

A partir disso, a coordenadora apresentou os dados dos atendimentos realizados, reforçando que se concentram em mulheres pretas e pardas de 30 a 39 anos, de baixa escolaridade e residentes em regiões vulneráveis. Além disso, expôs que a instituição já ajudou aproximadamente mil mulheres por ano, mas que com a perda de incentivos financeiros, junto da pandemia, esse número se torna cada vez menor.

Logo após a apresentação, os parlamentares aproveitaram o momento para tirar suas dúvidas sobre a Casa, em especial sobre o retorno dos atendimentos e os desafios enfrentados. Sobre isso, a Cristiane falou que infelizmente uma única organização não consegue combater a violência à mulher e o feminicídio, e no contexto da Casa, afirmou que "o maior desafio é fazer a reorganização da rede, uma vez que esse trabalho foi interrompido, a reconstrução é o passo mais difícil. Encontrar parceiros que assumam novamente o trabalho e ofereçam serviços de apoio não é algo que acontece do dia para noite, infelizmente”, disse a coordenadora. 

Outro assunto abordado foi o Projeto “Amor não é Cilada”, desenvolvido pela instituição que consiste na prevenção à violência contra a mulher e que já está chegando nas escolas de Viçosa. Cristiane mencionou que a instituição está muito animada com esse projeto porque além de conscientizar ele ajuda a prevenir e identificar os casos de violência desde a juventude, e que ele só está sendo possível graças as emendas parlamentares. “O projeto ajuda a desconstruir a realidade machista e patriarcal que vivemos, e foi muito bem aceito nas escolas”, afirmou o Vereador Bartomélio Martins (Professor Bartô) (PT).

O Presidente da Câmara, Vereador Edenilson Oliveira (PSD) agradeceu em nome dos demais parlamentares pela disponibilidade, e parabenizou a instituição pela grande retomada. 

 *texto da estagiária Thaís Cal sob a supervisão de Mônica Bernardi


casa das mulheres.




error while rendering plone.comments